segunda-feira, novembro 05, 2012

Ainda sobre o Skyfall

 * contem mini-spoilers*

1. No trailer, temos uma cena de ação, com perseguições de mota em cima de telhados e lutas em comboios em andamento, com um Bond a saltar para dentro de um comboio semi-destruído enquanto [sexy as hell!] arranja os punhos da camisa. No entanto, é praticamente a única cena de ação/perseguição do filme.

2. No trailer, temos o seguinte diálogo:

Boazona - What do you know about fear?
Bond - All there is to know.
Boazona - Not like this. Not like him.

No entanto, depois aparece-nos um vilão que de assustador não tem nada. Gay (não quero com isto dizer que os gays não possam ser malvados, ponham os olhinhos no Renato Seabra!!!), de cabelo loiro pintado (e mal pintado), cheio de trejeitos e a querer papar o rabinho do Bond, enquanto o Bond (O JAMES BOND!!!) faz charminho para outro homem! Eu estava habituada a ver o MI6 a combater organizações maléficas, que queriam destruir a Inglaterra/o mundo, roubar petróleo, financiar terroristas, etc. Aqui a vítima não é uma pátria, uma organização, é a M., apenas a M. e o vilão é um menino da mamã ressabiado. Desculpem, mas não mete medo a uma criança de 5 anos (a não ser que lhe dissesse "anda cá ao tio, que eu tenho aqui uma guloseima para ti").

3. Depois, estamos habituados aos maus terem bombas, mísseis, armas potentíssimas, tecnologia mortífera de ponta. Aqui não. Eu sei que estamos na era digital mas um bonequinho a mandar mails com gargalhadas de bruxa já deixou de meter medo há muito e até eu já recebi comentários mais medonhos na caixa de comentários aqui do blogue.

4. Por fim, um Bond, James Bond, 007 licence to kill, deveria ser um nome de código, ele deveria ser sempre forte e tomar as melhores decisões, não devia ter dores e ressacas e dúvidas. Eu não queria ver um Bond bêbedo, fraco (nem umas elevações conseguia fazer, caraças!), na sua pior forma, que nem sequer passa nos testes de admissão, um Bond sentimental, pessoal. Eu não queria saber que ele era órfão, não queria saber onde é que ele passou a infância, que Skyfall era o nome da sua quinta quando era pequenino ou que James Bond é o nome verdadeiro dele. 

Não é pedir muito ó Sr. Sam Mendes!

4 comentários:

Jay disse...

Concordo a 110% (como os jogadores de futebol gostam de dizer) *

Sílvia disse...

Ah ah ah nem mais. Vi o filme ontem e foi assim tão... sem sal. Para mim filmes do James Bond têm que ter ação e em 90% do filme tem que haver porrada e murros e mortes. Só que não houve nada disso e eu fiquei desiludida. Achei muito paradinho, o Bond fraquinho (e eu gosto tanto do Daniel) e arrependi-me de ter ido ver. Vi sim senhora mas não achei nada de especial.

RCA disse...

É isso mesmo, também me arrependi de ver.

É como aquele terceiro álbum de uma banda que gostamos. A malta gostou do primeiro, o segundo era mais ou menos parecido, mas engole-se e fica tudo lixado ao terceiro.

Close up! disse...

"...até eu já recebi comentários mais medonhos na caixa de comentários aqui do blogue"- Ah,ah,ah!
O que eu me ri com isto, a sério!