terça-feira, outubro 02, 2012

Ricardo + Diana = amor (no meu tempo era assim)

Oh ceús, o drama, o horror, o.... previsível! Afinal a história de encantar do Ricardo e da Diana não passou de um golpe publicitário da Cacharel.

Não é que eu seja pouco romântica, que não sou (a sério, eu até acredito no amor à primeira vista, gosto de receber flores e que me façam declarações bonitas e lamechas!) mas era óbvio que esta história estava mal contada desde o início. Aquela coisa de deixar o futuro nas mãos do destino já me irritou no filme Serendipity (ah e tal, estamos em NY, cidade com milhões de habitantes, estou loucamente apaixonada por ti mas vou escrever o meu número num livro e pô-lo à venda e se algum dia tiveres acesso a ele é porque o destino, o mundo, deus ou o pai natal queriam que ficássemos juntos - blergh, que ideia mais estúpida!) e continuou a irritar nesta história, com a diferença que o Serendipity é um filme e isto era "a vida real".

Acontece que na vida real, caso a outra pessoa tenha interessado mesmo, ninguém deixa nas mãos do destino o próximo encontro. Não. Dámos-lhe/pedimos-lhe o número de telefone, email, perfil no Facebook, nº de bilhete de identidade, segurança social, cartão europeu de saúde, nº do seguro multicare, cartão de cliente massimo dutti, tudo! E ficamos ansiosos para contactar a outra pessoa ou que ela nos contacte. E para ficar até às tantas ao telefone e acordar cedo para ligar outra vez, porque é a última pessoa em quem pensamos antes de dormir e a primeira de quem nos lembramos quando acordamos. E por trocar mensagens parvas em que tentamos parecer inteligentes, divertidos, cultos, viajados e interessantes. E por estar com essa pessoa hoje, amanhã e depois e falar muito e rir muito e beijar muito. 

Por isso vi logo que aquilo só podia ser golpe. Não pensei é que fosse tão elaborado. Pensei, quando muito, que seria golpe de um ou de outro, ou de ambos, para ganhar visibilidade e irem ao Bom Dia Portugal ou à Fátima Lopes ou ao Goucha, até que eram convidados para os Morangos e eram felizes para sempre. Mas não, foi ainda mais perverso. A marca - Cacharel - quis criar um "movimento romantismo". Até aí tudo bem, só deus sabe o quanto as pessoas (e por pessoas refiro-me àquelas que têm pénis) precisam de romantismo, mas a enganar as pessoas? O que é que ganharam? Visibilidade? Mas pela negativa? Isso serve para alguma coisa?

Gente do marketing, isto é uma estratégia válida? É que se for vou já criar uma campanha fantástica aqui para a empresa. Já estou a imaginar, sempre que lançarmos obras com vampiros mandamos aí umas pessoas para a rua, vestidas de drácula e a morder efetivamente quem passa. Podia morrer uma série de gente mas, who cares?, é publicidade!


14 comentários:

Analog Girl disse...

Realmente esta questão tem mexido com as pessoas e levanta uma série de questões. Pode uma marca actuar nestes moldes? Qual o papel dos media no meio disto tudo, uma vez que artigos foram escritos, reportagens de TV feitas, etc.? Será tão fácil corromper os meios noticiosos, ou enganá-los (qual das hipóteses é a pior?)?
Enfim, acho que como ideia viral funciona, é interessante, mas realmente está a mexer com as pessoas pela negativa. Será que vale a pena apostar em campanhas deste género?

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Conheci o meu marido qd ja estava a sair da discoteca e ele me abordou, queria conhecer-me....Eu não lhe liguei, disse-lhe que nunca mais nos íamos ver por isso que desampara-se a loja...ele disse: pelo menos da-me o teu n.º de telemovel...Eu assim um pouco armada em fina disse: aqui vai, ou o decoras ou então esquece lá isso....disse-lhe o meu n.º uma vez e saí sem olhar para trás.No outro dia telefonou-me...e....estamos juntos há mais de 15 anos :D

bjokassss

(desconfiei da historia da diana desde o início...e depois de saber que era golpe publicitario achei que era um muito mau golpe publicitario.....só liga a marca a uma coisa:aldrabice!)

Imperatriz Sissi disse...

Noutra altura poderia ter funcionado...mas numa fase em que o público anda tão sensível, acho que a Cacharel deu um tiro no pé. A ver vamos.

http://jessi-aleal.blogspot.pt/2012/10/e-cacharel-enganou-meio-mundo.html

amiga da onça disse...

A marca atingiu os objectivos, sem dúvida.

RCA disse...

Alguém sabe se a Massimo Dutti faz promoções fora de época?

Sandra disse...

Nunca acreditei nesta história, até porque acredito muito pouco em cinderelas, embora tenha o meu quê de romântico, nunca será deste género, mas pensei que seria um golpe deles e não duma marca qualquer. Para mim também não adianta porque nunca comprei nada da Cacharel e agora é que nunca mais compraria pois andou a enganar tantos românticos que por aqui andam.
E como diz RCA, há promoções na MD?. Comentário à homem, com toda a certeza.

Scone disse...

Até eu que não sou nenhuma romântica, fiquei desiludida quando soube que era uma estratégia de marketing :(

Anónimo disse...

Tenho a dizer os seguinte: ainda bem que voltas-te a blogoesfera!

kiss me disse...

Framboesa, mas isso deve ser 1 em 3735698570897 casos :))))

Anónimo, obrigada.

RCA, eu não sei mas gostava de saber, que este fim de semana vi lá umas 5 peças que ficavam muito bem no meu armário.

*Mary disse...

http://avisatodomundo.blogspot.pt/2012/10/a-procura-da-diana-da-cacharrel-da.html ;)

Alfacinha de Portugal disse...

Não me interessei muito sobre essa notícia. Comentei-a em blogues mas não fiz post, como vi tantos por aí. Não é algo que funcionasse comigo, esse marketing, porque não me levaria a escrever sobre o assunto. Acho...

Agora que dizem que é campanha, continua a não me interessar LOL

Margarida disse...

E fui a única pessoa a achar piada à campanha...! Devo estar maluca! Mas realmente achei piada. :)

alpha L disse...

Não pode haver dúvidas que foi um golpe de génio.
Toda a gente fala do assunto... Toda a gente já sabe que a cacharel tem um perfume chamado Diana... Eu já estou curiosa para conhecer o cheiro...
E a TVI já veio pedir desculpas por ter passado a reportagem. Toma lá TVI que tens a mania de dar notícias que não são notícias...

(http://alpha-lady.blogspot.pt/)

Anónimo disse...

Também não achei piada nenhuma! Ainda por cima chamo-me Diana e o meu noivo Ricardo! E é a mais pura das verdades!!