terça-feira, novembro 10, 2009

...

Robert Enke (1977-2009)

Quando alguém se suicida toda a gente, ao ver-me assim para o consternada, dizem "devia ter algum problema". Mas é claro que quem se suicida tem algum problema. Só que na minha opinião são problemas internos, nas próprias cabeças, e não externos (não deixando de ser menos importantes por isso e, pelo que se vê, muito mais perigosos). Há pessoas que são violadas, torturadas, que ficam sem família, que não têm dinheiro para dar de comer aos filhos, que vivem com dores, que vivem em guerra e com medo, que têm filhos doentes, que estão doentes e mesmo assim continuam a querer viver, e depois vê-se pessoas no auge das suas vidas, da sua saúde que preferem ir embora. E eu que, neste momento, tenho amigos e conhecidos tão novos e tão doentes a lutar tanto para serem felizes e aproveitarem o que podem, não consigo deixar de sentir que isto tudo é uma injustiça muito grande.

20 comentários:

Rosa Cueca disse...

E é mesmo.
E é enquanto se luta que não se tem tempo para não agarrar a vida. É um luxo que as pessoas que têm de lidar com os problemas não têm.

Alexandre disse...

Já soube do acontecimento do jogador.
E concordo contigo. :)

Caramela disse...

hum n sei se percebi mto bem o teu post. pelo que li morreu-lhe uma filha e tinha problemas de saúde que o afastaram da sua profissão... se calhar antes de compararmos problemas devemos analisar as capacidades de resiliência de cada para fazer frente às adversidades (entre outras coisas) ... a ideação suicida não é um desejo de morte é um desejo de mudança ... mas claro que estamos sempre a falar de alguém q n está efectivamente bem

Beatrice von Bismarck disse...

Sempre questionei o que é que se passará na cabeça de uma pessoa que encontra no suicidio uma saída .

:(

kiss me disse...

Caramela, a filha já lhe tinha morrido há 3 anos e entretanto tinha outra de 8 meses. Quanto a problemas de saúde não descobri nada sobre isso, aliás, até foi dado como garantido como titular na selecção alemã para o Mundial de 2010, coisa com que todos os profissionais sonham. De qualquer das formas, qualquer que seja o problema, acho que nunca há justificação (externa, lá está).

Pocahontas na Cidade disse...

Não devemos julgar... Quando uma pessoa pensa em se suicidar é muito mas muito mau... Não têm noção.

É só abismo que habita dentro dela, um enorme vazio!

E depois não há aquela mão amiga no momento que mais se precisa.

Um dia cruzei-me com um moço que me disse que estava a pensar em suicidar-se e não têm noção do que é ouvir isso!

Depois ele teve a desabafar sobre a vida que tinha e a única coisa que agarrava-lhe à vida era a namorada que queria deixá-lo.

Tinha uma vida mesmo muito massacrada, onde todos tratavam-o como lixo...

Senti-me tão mal por ele... a vida às vezes é tão má que se não tens um amigo ou não te agarras a Deus de nada serve!

Principesca disse...

Acho que não devias tirar conclusões precipitadas! Apenas hoje vão revelar pormenores em conferência de imprensa! Era uma pessoa tranquila e muito humana, com toda a certeza algo muito grave se passou com ele.
Era amigo do meu namorado e não se adivinhava uma atitude destas...

Anónimo disse...

É difícil saber o q se passa na cabeça de cada um. De facto, é uma injustiça m n nos termos q, penso, falas. Para uma pessoa se suicidar é pq n está nada bem psicológicamente e, infelizmente, cada um lida c os problemas (nem sempre reais)como pode e consegue. P se optar pelo suicídio n é só porque se é "fraco", é algo irracional (contra natura) que só se faz qdo, psicológicamente não se está, efectivamente, nada bem e n se teve ajuda a tempo.

kiss me disse...

É claro que para uma pessoa cometer suicídio é porque bateu muito fundo. O que eu acho é que para uma pessoa fazer uma coisa dessas é porque tem problemas psicológicos e não simplesmente problemas familiares, de trabalho etc.

E eu não julguei ninguém. Só estou a dizer que é muito injusto pessoas com mil problemas em todos os aspectos quererem muito continuar a viver e haver outras aparentemente com óptimas vidas que preferem deitar tudo a perder.
Sejam quais forem os motivos que levam as pessoas a fazer isso, para mim é injusto.

Anónimo disse...

O que estás a dizer é a mesma estória de uma casal querer gerar filhos e não poder e uma mulher vai e faz um aborto. É tão injusto.... Injusto o caraças. Cada caso é um caso. A vida de uns nada tem que ver com a vida de outros. E o facto de ter perdido um(a) filho(a) há 3 anos e ter perdido hoje mesmo é a mesma coisa. Um pai que perde um filho nunca mais é o mesmo. Falas como se fosse uma coisa que passasse com o tempo. Não é porque uma pessoa faz um grande esforço para viver, que outra vai deixar de se matar. Dizes que não estás a julgar, mas estás ao fazeres essa comparação ridícula.

Joana

rosemary disse...

Concordo contigo quando dizes que o problema é interno. Afinal, quem escolhe uma saída destas não está bem psicológicamente, obviamente. Mas também se sabe que muitas vezes os problemas começam por motivos externos, que no caso do Enke penso serem devidos à morte da filha, entre outros problemas de saúde que teve. Mas parece-me que ele estava com uma grave depressão e recusava receber tratamento, e assim é muito difícil conseguir sair desse abismo do qual ele devia sentir
Bjs*

kiss me disse...

Gente, a mulher também perdeu a filha e não se matou e possivelmente não está com uma grande depressão, está triste mas não sofre da doença depressão (e há uma grande diferença entre estas duas coisas). E também conheço algumas pessoas que perderam filhos, que nunca mais foram as mesmas mas não é por isso que se matam. Toda a gente é diferente e uns resolvem as coisas de uma maneira e outros de outra. Eu não estou a julgar, se ele achou que não conseguia viver tenho mesmo muita pena e sinto-me super mal por alguém achar que a única solução é por fim à vida.

Mas, para mim (e é melhor salientar isso antes que me caiam em cima) é muito injusto mesmo que uma pessoa que quer viver morra e uma pessoa que está viva queira morrer. Ponto. Como também acho injusto a situação que a Joana refere em cima, que uma mulher queira engravidar e não possa e outra esteja grávida e aborte. Sou totalmente a favor do aborto mas que estas situações são injustas, num sentido "divino" ou "universal" da coisa, são!

Marcia Parassol disse...

É uma pena ter morrido tão novo. Mas vamos aguardar pelas conclusões e não precipitarmos com diversas opiniões.
O motivo que o levou ao suicídio, ele levou com ele. Que descanse em paz!

Maria disse...

Para ti ter uma vida boa é estar bem financeiramente e ser-se loiro com influencia na sociedade, apenas? Não conhecemos as pessoas por detrás das figuras públicas que são, não sabemos os seus problemas, as responsabilidades que têm, os sacrifícios que fazem. Não se matou por causa da filha porque ela ja morreu há 3 anos?? And so what? Tinha que se ter suicidado no dia a seguir? By the way, ele estava carregadinho de depressões, assim daquelas msm diagnosticadas pelos médicos, à seria. E teve uma infecção intestinal muito grave em setembro que quase o fez quinar. Não é preciso ser-se um desequilibradinho para se pensar em suicidar! E nem todas as pessoas com 'verdadeiras dificuldades' na vida são as mais infelizes e com motivos de se jogarem de um comboio. Haja paciencia!

kiss me disse...

Não, para mim ter uma boa vida é ter uma mulher, uma filha (sim, ele tem outra, que deixou sem pai), ter saúde (a infecção já estava curada), ter um bom emprego e sucesso a nivel profissional, ter amigos, que pelos vistos ele tinha.

E Maria, lê o que eu digo em cima, que depressão é uma doença, não precisas de me ensinar nada disso. E se sabes tanto sobre depressões também sabes que na maior parte das vezes as depressões verdadeiras não são provocadas por factores externos, é uma doença psicológica, logo é um desequilibrio, porque ninguém no seu estado normal pensa em suicidar-se.

Pedro disse...

Antes demais há q julgar sim, há q julgar aquelas pessoas q por causa de um problema amoroso acabam com a vida. O q não faltam são casos assim e esses, desculpem lá, mas são para "bater" o mais possivel. Por causa de um arrufo de namorados acaba-se com a vida??

Agora há casos com problemas a sério, com problemas reais. Todos nós já pensámos no q fariamos se tivessemos em determinada situação. Eu assumo claramente q o meu maior medo é não poder acabar com a minha vida se chegar a uma determinada situação q para mim é a limite. Se quero morrer? Claro q não. Haverá poucos com mais vontade de viver q eu. Por isso é q se alguma tiver na situação em q não tenho vida espero poder ter a possibilidade de resolver como entender.

Mas há coisas q fazem pensar e a Kiss tem toda a razão. Enke era jovem, com sucesso profissional, com familia, etc. Acabar com a vida tendo uma filha de 8 meses? Abandonar assim uma filha? Não entendo. Sinceramente não entendo.

Maria disse...

Então só os desequilibrados é que podem ESCOLHER ficar doentes?!? Que pena, apetecia-me tanto uma depressãozinha daquelas da moda... No melhor pano cai a pior nódoa! Ainda ontem estivemos a falar de depressão na aula e nada pior que dizeres a uma pessoa deprimida qq coisa cm 'deixa-te disso, não vês a vida maravilhosa que tens? Ainda te queixas?'. Claro que ele estava doente, claro que a vida dele era teoricamente melhor que qualquer uma nossa. Claro que ele devia ter uma filha adoptiva linda. Claro que ele era idolatrado por tanta gente, mas atrás disso estava um homem a lutar contra uma doença altamente destrutiva.
Não te estou a atacar Kiss me, gosto muito de te ler, mas neste ponto não estamos de acordo. Peço desculpa se fui rude e malcriada, mas ele fui um idolo para mim e a sua morte transtornou-me. Para alem disso, tenho um caso na familia de uma pessoa muitissimo bem sucedida a tds os niveis que passou por mts maus momentos serios recentemente, e já tds esperávamos o pior. Foi precisa mt força, mt conversa, mts lagrimas deixadas na almofada... Th um familiar medico que diz 'hj em dia cura-se mais facilmente um cancro que uma depressao', e eu começo a estar de acordo com isso...

Maria disse...

Não qurendo ser chata, mas já o sendo, aqui deixo um link do youtube...

http://www.youtube.com/watch?v=TYW-NzBeM1Y

Pelas imagens, e pela força que elas têm, não imagino a dor ao perder uma filha lutadora assim. De que é que lhe serviu o dinheiro, ter um mulher a valer e o facto de ser reconhecido? Nada, deve ter-se sentido um lixo, impotente.

adivinha disse...

às vezes, carregamos connosco um abismo. durante toda a nossa vida ficamos indeciso: saltamos ou não? um dia, quando menos esperam, a nossa sombra é mais forte e empurra-nos.

Claudia disse...

"Adivinha..."
Este comentário foi simplesmente extraordinário.