terça-feira, março 12, 2013

Justin Bieber e as "Bieberettes"

À parte a cena das tatuagens, não percebo a polémica com as miúdas e o Justin Bieber. Em 1994, tinha eu 12 anos, vi o Entrevista com o Vampiro e o Lendas de Paixão (2 x no cinema cada um no mesmo fim de semana) e apaixonei-me perdidamente pelo Brad Pitt (que tinha 31 anos na altura!) sonhando que ele aparecia na minha terrinha-natal (ahahah), nos apaixonávamos e vivíamos felizes para sempre.






19 comentários:

Violeta Santos disse...

ahah, que lindo :bb

Cynthia disse...

A diferença é que dantes a maior parte das gaiatas gostavam de HOMENS, agora gostam de putos! :P

Cat disse...

Claro que sim, todos temos os nossos super ídolos de adolescência. Mas com 11 anos a minha mãe não me deixaria faltar às aulas para ir acampar durante não sei quantos dias para Lisboa sozinha, à chuva, só para o ver. Nem com 15. Nem com 18, provavelmente.

Maat disse...

só descobri agora isso das tatuagens e fiquei chocada... não por mim, mas pelas miúdas que daqui a uns anos começam a juntar dinheiro para as remover. coitadas.

Ana Ricardo disse...

(suspiro) também me 'apaixonei' por esse deus Brad :)

Carminho disse...

Eu nem sei quantas vezes vi as "Lendas de Paixão"...e tb me apaixonei pelo Brad... ele era lindo :)

Nancy Wilde disse...

Eu delirava com o Brad Pitt na fase "Meet Joe Black"...!
Outro que me enlouquecia era e é o Sean Connery e o Harrison Ford no Indiana Jones!^^

Mas falando a sério, quem me dá o golpe final é mesmo o Benicio del Toro *quebra de tensão*

Inês Pereira disse...

O que choca de verdade é precisamente a parvoice das tatuagens. Ter ídolos é perfeitamente normal e saudável, a diferença é que há uns anos eram homens, como bem exemplificas ao falar do Brad Pitt (sim, também tive a minha paixoneta por ele nesses dois filmes - afinal ele estava muito gato) entre outros com ar igualmente maduros. Agora as miúdas deliram com rapazinhos que mais parecem crianças a entrar na puberdade. Como é possível? lol

Anónimo disse...

A cena das tatuagens é um bocadinho importante demais para ser tirada da equação!!!

disse...

Eu era assim com o Leonardo DiCaprio!! Cheguei mesmo a comprar um VHS dobrado em espanhol, porque o Romeu & Julieta saiu 1º em Espanha!

homem sem blogue disse...

Tens razão no que dizes. Quem nunca teve uma paixoneta por alguém famoso quando era mais novo.

homem sem blogue
homemsemblogue.blogspot.pt

M disse...

O histerismos das adolescentes, percebe-se. Também tivemos a nossa fase. O ser-lhes permitido que faltem às aulas, que acampem longe de casa junto a um estádio e sem a supervisão de um adulto de confiança por causa de um concerto, e ainda a parte das tatuagens (que é assustadora)... bom, isso é preocupante a muitos níveis. Que pais são estes?

S* disse...

Eu tenho a minha panca pelo Colin Farrell.

Chic Maria disse...

tb morria de amores por ele... Mas nunca tatuei o seu nome. Acho que a polémica passa mais por aí porque a loucura do ídolo é característico da idade e, a meu ver, até é saudável, desde que não ultrapasse certos limites e a tatuagem é um deles :D adoro tatuagens mas não é aos 15 anos que se tem discernimento para fazer uma para o resto da vida! Beijinhos

Rosa Cueca disse...

Nunca fui fã do pobre Brad, exceptuando no Fight club.
Mas dêm-me um Tom Hardy que eu...err...coiso...e o nome diz tudo.

stantans disse...

eu também amava o Brad mas no Meet Joe Black :P e o Fight Club é de longe o meu filme preferido dele :D

Lígia disse...

Não entendo o que é que as miúdas de agora vêm nesse moço (e em outros que tais) a ponto de fazerem tatuagens desse género, vá-se lá perceber...
Entrevista com o Vampiro é um dos meus filmes favoritos de sempre! Ai o Brad Pitt. :3

xo ♥

romanticbrowneyedgirl.blogspot.pt/

Anónimo disse...

Concordo tb nao percebo, acho que qd se chega a adulto esquecem-se que foram adolescentes!

Anónimo disse...

Υouг customers wіll feel the wаrm tеmperature of the roοm shоuld
be one of the mοst гelaхing plaсes you cοulԁ think of, а
Tаntгa gаzеbo.

Reѵiеw my blog post reiki