quinta-feira, outubro 07, 2010

A raíz do (meu) medo

Eu disse que o Bodyguard não marcou grande coisa na minha vida mas a verdade é que durante uns dias eu não conseguia dormir direito com medo de ter aquela luzinha vermelha que o assassino aponta à cara da Whitney nos Oscars viradinha à minha cara, pronta a estourar-me a testa.

Foi aí e nos dias seguintes a ter ido ver a Raíz do Medo (aquele em que o Richard Gere ouve Dulce Pontes numa tasca). Durante uns tempos morria de medo que o Edward Norton me entrasse pelo quarto dentro a dizer "there never was an Aaron" com aquela cara de Roy. Como se alguma vez na vida ter o Edward Norton a entrar-nos pelo quarto dentro, a dizer o que quer que seja, fosse uma coisa má.

8 comentários:

Analog Girl disse...

A frase final diz tudo!
:)

(o que me ri com este post!)

∗ANA∗ disse...

E eu com o "Tinaaaa" do primeiro Pesadelo em Elm Street... até que passados uns dias descobri que era mesmo o meu Pai que estava a dizer "Tinaaa" e não estava a ouvir coisas...

Bjinhos ;)

Paloma disse...

ahahahah, concordo plenamente!

siceramente disse...

Edward Norton :)

Rita Maria disse...

Eu a escrever mentalmente o comentário enquanto te lia e tu depois arrumas com ele na última frase. Mundo cruel.

Mak, o Mau disse...

Max Cady.


O meu medo não era com o personagem do De Niro, mas acordar com um cabelo igual ao dele.

Doce Devaneio disse...

ahahahha....adorei!!
Mal li "Durante uns tempos morria de medo que o Edward Norton me entrasse pelo quarto dentro", pensei, o que é que uma pessoa no seu perfeito juízo não gostaria que isso acontecesse...só então li a última frase.GOSTEI MUITO!!!

odocedevaneio.blogspot.com

Evinha disse...

lolll mesmo!