terça-feira, novembro 03, 2009

Ajudinha

Vá, gente, ponham a vossa imaginação a funcionar.

O que gostam, ou gostariam de encontrar, num guia de viagens? Não se acanhem, digam as ideias mais normais e as mais malucas, que às vezes vai-se a ver e não são tão malucas assim e até são ideias bem giras. E já agora, o que não gostam? Muito obrigada, são uns amores.



(o que se pretende não é opiniões sobre a cidade deste guia aqui em cima, e sim sobre os guias em geral).

16 comentários:

s. disse...

a minha sugestão é de ires jantar (ou almoçar) ao restaurante kong (lembras-te do restaurante onde a carrie, na última temporada da série the sex & teh city, conhece a ex-mulher do namorado russo, o Mikhail Baryshnikov? é esse.) http://www.kong.fr/

por baixo fica um spa da kenzo...

kiss me disse...

Obrigada s. Também já tinha esse sítio debaixo de olho ;)

Mas o que eu queria era opiniões sobre os guias de viagem em si e não sobre a cidade.

Anónimo disse...

Gosto que tenha os preços!!!! que é coisa que a maior parte não tem!!!

Mary

Bailarina disse...

Acho que os preços de lugares onde se pode, dormir e comer... Desde o mais barato até ao mais caro!! Lugares onde nos podemos divertir á noite... Lucais onde podemos fazer as nossas compras, quer sejam elas lembranças ou comidinha!! Entre muitas outras coisas!!
Bjinho*

Su disse...

Os meus guias de viagens favoritos são os da Lonely Planet. Muito completos. Têm informações sobre preços (inclusivé se é alto, médio ou baixo)de alojamento, restaurantes, museus..etc.
Penso que isso e informações sobre monumentos e história do local, é o mais interessante. De resto acho que não devemos seguir os guias, e os seus lugares estereotipados. Devemos também percorrer a cidade sem estar sempre a olhar para o guia.

jane doe disse...

informações sobre espaços ao ar livre, tipo jardins

Alexandre disse...

Uma das melhores cidades do mundo! :)

Marie disse...

Além das palavras básicas "olá" "obrigada" e assim, as asneiras básicas, o que nunca fazer (a não ser que se queira ofender os nativos) "protocolo/etiqueta" básicos do sítio. Feiras de antiguidades, (contrafeitos de qualidade, vá), outlets, cafés/restaurantes/bares familiares que os nativos frequentam por algum prato em especial ou não necessariamente... imagino que não tenha sido grande ajuda...

One Guy Alone disse...

Olha... a indicação de um ponto de amor! (local... onde ficam os registos do dia, tudo o que diz respeito ao amor... e que ficou por resolver, culpa dos desencontros) Todas as cidades, deviam ter destas coisas... e espalhar anúncios pela cidade :p! Há malta que sofre!

adivinha disse...

Vais fazer um guia?

R. disse...

Gosto dos guias que incluem as partes da cidade menos turisticas e conhecidas: os restaurantes pacatos, as ruas típicas, os becos pitorescos (assim de repente nem me lembro de nenhum mas pronto) coisas desse género que para um habitante da cidade pode não ser nada mas para outro é muito bom... e provavelmente só baralhei mais

s. disse...

sorry... confundi este post com outro recente em que pedias dicas sobre paris.

sobre guias de viagem, eu gosto que tenham bastantes fotos, que sugiram lugares e experiências fora dos circuitos mais turísticos, que tenham textos bem escritos e não meramente descritivos... e, ainda, que incluam uma ou duas páginas, com boas fotos, sobre a gastronomia local.

Anónimo disse...

Guias alternativos para aqueles que não querem ver monumentos nem museus mas sim ver lugares mais alternativos. E também guias para pessoas que viajam sozinhas onde podem encontrar lugares e meios de deslocação que lhes permitam andar em segurança mesmo ás 2 da manhã. Eu já quis viajar sozinha mas acanhei-me sempre porque imagino que andar numa cidade desconhecida, à noite, por exemplo, me pode fazer sentir insegura. Passar o serão num hotel, sozinha, não deve ser muito divertido. Mas isso sou eu que sou um bocado medricas, confesso.
E que sei que o Mundo não é mesmo cor de rosa. Tania

gralha disse...

Eventos e espaços culturais de entrada gratuita.
Actividades para pessoas sozinhas/ casais/ amigos/ famílias.
Must see's e must do's.
Zonas de compras realmente tradicionais, onde vão os locais (desde livros a música, roupa e comida).
Já são muitas coisas! De nada :)

Anónimo disse...

Já conheço alguma coisa por essa europa fora. E claro, tótó viajadeiro como eu, tem que levar uns guiasitos prá viagem. Mas pelas ultimas experiências, há um dado novo que são as "experiências e relatos" das pessoas, que as colocam na net, seja em blogs, seja em outros formatos. Aí aprende-se muito. Voltando aos guias, uma das coisas que eu apostaria era:
- Fazermos a pergunta sagrada "Mas onde é que pára o pessoal?"
Ou seja, o que eu colocaria era um pequeno relatório com entrevistas a uma 1/2 dúzia de pessoas, cobrindo talvez um expectro alargado da população (desde o jovem universitário, ao executivo, ao casal jovem, ao desportista, ao artista, etc), em que se perguntaria os diversos "must do". Isto é, onde se come a melhor pizza, qual o melhor local para compras, a esplanada mais "trendy", a "tasca" com melhores comes & bebes, a discoteca da moda, o melhor "spot" à beira-mar, ou beira-rio, etc, etc. Para os monumentos e locais mais institucionais e badalados, o guia da American Express tem sido satisfatório.
O Presidente

Isandes disse...

Tem que ter mapa da cidade, do metro e de outros transportes, indicação de preços aproximados, horários, dias gratuitos de visita, akelas cenas do costume.
Agora, começa a ser importante pôr um tag a dizer "gay-friendly", "totally gay" ou "hetero"; é k já tou fartinha de apanhar a 1ªa semana gay de xpto, noites brancas k afinal são gays, lésbicas e travestis, etc... Nada contra, mas é preciso a mlata saber com o k conta...
Ah, dicas sobre spots ligados ao sexo (casa de strip, sexo ao vivo, etc) tb é giro!