segunda-feira, junho 15, 2009

VIPERINA (pós férias no Algarve)

> Esbarrei com o Augustus à saída do elevador do hotel. Está certo que a mulher e a sogra são muito elegantes, mas ele está tão gordo tão gordo que não sei como couberam lá dentro os três.


> Já o Pepe, um dos nossos portugueses mais brasileiros, pareceu-me estar em grande forma física a sair da piscina. E digo "pareceu-me" porque não quis olhar muito. Tive medo que me atirasse ao chão e começasse aos pontapés.


> Mulheres deste mundo, quando comprarem um biquini cortem-lhe logo, imediatamente, todas as etiquetas. É que já é mau quando uma etiqueta salta da parte de trás de uma camisa, t-shirt, top, mas nessa zona normalmente o cabelo tapa. Agora sair da água toda molhada, espremer o cabelo sensualmente enquanto se atira a cabeça para trás e ter uma etiqueta farfalhuda daquelas da Zara a sair de lado da mama não é sexy, convençam-se disso.


> Homens deste mundo, uma t-shirt sem mangas (daquelas que parece que só descoseram as mangas) é uma coisa que não fica bem a toda a gente. Atrevo-me mesmo a dizer que não fica bem a quase ninguém. Talvez (e é só uma remota hipótese) só a homens jovens com muuuuito estilo para isso, a moços extremamente bem feitos, como tenistas ou outro tipo de desportistas (tipo Nelson Évora, estão a perceber?) e não ao comum dos mortais, homens pequenos e com barriga, de óculos, com cabelinho e cara de político de cidade pequena ou presidente a junta.


> E já agora, pela milionésima vez, ouçam o que as mulheres vos dizem. Esqueçam de vez as sandálias. A sério, por favor (e claro que estou a falar para os homens portugueses, que os estrangeiros já não têm remédio). Para a praia a ÚNICA (estão a ver "única" em maiúsculas???) coisa aceitável nos pés são havaianas. As sandálias são feias, pirosas, parolas... e vocês não querem ser isso tudo, pois não? Nãaaooo!


> Não me venham dizer que a população ocidental está envelhecida. Nunca na minha vida, nem no circo, nem no jardim zoológico, nem na Eurodisney vi tanta criancinha por metro quadrado. Só no meu hotel era uma média de 3 por casal, todos seguidinhos, dos 3 meses aos 5 anitos havia lá de tudo. Super fofos, super chorões, super engraçados, super barulhentos, super queridos. De tudo.


> E já que estamos a falar de crianças, as mãezinhas e paizinhos que me lêem, por favor, tenham mais cuidado com os vossos filhos. É que vocês vêm lá da Alemanha, Holanda, Inglaterra com filhos mais brancos que um coelho albino, e estavam 36 graus, por isso que tal um protectorzinho SPF 60? E uma t-shirt? E uma sombrita para os vossos piquenos? É que eu olhava para as pobres criaturas, de ombros e braços e costas mais vermelhos que o equipamento do Benfica e partia-se-me o coração. É que se vocês gostam de andar tipo camarão, isso é convosco, gente adulta, eu própria apanhei os meus escaldoezitos da praxe, é estúpido mas cada um sabe de si. Agora bebés de 1, 2, 3 aninhos é puro crime.


> E falando ainda em mães, pais e bebés reparei que as famílias portuguesas estão a mudar muito. Famílias com 3, 4 filhos pequenos e quem toma conta deles é... o pai. Apenas e unicamente o pai. A mãe era vê-la em sistema rotativo de frango no churrasco nas espreguiçadeiras, enquanto os paizinhos iam brincar com a prole para perto do mar, fazer castelos, vestir-lhes e despir-lhes os calções, fazer castelos, descascar-lhes a fruta, pôr-lhes cremes, fazer castelos, fazer parvoíces, falar à bebé, fazer castelos, ralhar, levá-los à àgua, fazer castelos, limpá-los, pô-los a dormir e fazer mais castelos. Enquanto há uns anos era a luta pela igualdade de responsabilidade na educação dos filhos, agora parece que as mulheres descartaram de vez toda e qualquer responsabilidade.


> Pessoal, na praia tentem (e só vos estou a pedir para tentarem) falar um bocadinho mais baixo ao telemóvel. Quando é feriado e estão 36 graus é normal que vá muita gente à praia e as pessoas ao vosso lado claro que vão ouvir a conversa, não é isso que está em causa. O que estou a querer dizer é que estando nós na praia de Santa Eulália em Albufeira as pessoas em Lagos não precisam de ouvir.


> E agora um bocadinho de má língua em relação a mim própria, que isto não pode ser só falar mal dos outros e deixar passar as minhas próprias calinadas. Eu sou tão parola, tão parola, que na última noite de estadia no hotel apareceu-me um rapaz à porta (calma, não é nada disso que estão a pensar!) com uma bandeja cheia de bolachinhas, bolos e geleia de morango, como oferta, claro está, e eu (parola, e com medo que fosse algum pedido errado de room service pelo qual eu teria que pagar mais tarde) disse "mas eu não pedi nada!" ao que o rapaz respondeu educadamente "é uma oferta... do hotel... por ser a última noite connosco". Eu, coradíssima claro (por isso e pelo facto de estar com aquelas ceninhas de pintar as unhas dos pés enfiadas nos dedos e andar esquisito) disse um tímido obrigada e remeti-me à minha própria vergonha enfardando uma quantidade razoável de bolachas para me acalmar.

14 comentários:

Rosa Cueca disse...

Daqui a duas semanas vou ficar no Hilton Vilamoura Hotel com a minha melhor amiga. Conto trazer histórias tão boas (já que a mim tudo me acontece) para contar.

;)

S. disse...

boas férias!!!eu também preciso assim de uns dias!!! e não me importo com as criancinhas nem com os labregos que falam alto ao tlm xP
em relação ao facto dos papeis dos pais estarem invertidos vê este post:
http://handsoffmymanolos.blogspot.com/2009/06/mr-big-gets-downsized.html

tá 5*!! xD

xx

Lipa disse...

Concordo exactamente com tudo! O povo português tem com cada mania! ;)

Magda disse...

Obrigado por me fazeres rir ... estava mesmo a precisar! :)

Rosana disse...

Valeu-me uma boa gargalhada!gostei:D

Inspiração Inesperada disse...

Texto espectacular :)

Poetic GIRL - BELA disse...

Amei o texto... muito divertido... beijokas

[MLK*] disse...

Concordo principalmente na parte da t-shirt sem manga. Depois c/a t-shirt costuma vir o palitinho na boca. :/ Mas a parte que mais gostei, foi mesmo o Nelson Évora. A partir daí não prestei muita atenção. ;D

Cat disse...

Ao ler isto soltei umas quantas gargalhadas, genial ;)

Fofocas disse...

adorei a descrição pormenorizada! e em relação aos papás, é mesmo verdade, as gajas não se mexem pra fazer absolutamente nada. Este tipo de gaja não acha que os maridos têm a obrigação de ajudar, elas acham que eles é que têm que fazer tudo. enfim...

Pérola Negra disse...

Ricas férias! Rico texto!
Beijos

Este Blogue precisa de um nome disse...

Ah ah ah ah

Agora entendo a cesta de fruta, no hotel,na minha última noite!!!! Ah ah ah ah ah ah
Eu não fui para Santa Eulália, fui para a Maria Luísa, mas assim de acordo com a tua descrição vi foi nos "Tomates" (fui arrastada para lá um dia inteiriiinho), vai ler o que vi por lá!!!! Beijo

Dejando huella disse...

Eu tenho filhos e faço o mesmo que essas mulheres, mas não sei se pelas mesmas razões. Eu é que dou o pequeno-almoço, lhes lavo os dentes, os visto, faço o farnel, meto tudo no carro, estendo as toalhas, e... adormeço na praia. O pai, claro, faz coisas também, mas eu continuo a fazer muito mais, não apenas no Verão mas o ano inteiro e quando chego à praia, desforro-me um pouco porque aí o pai não pode dizer adeus e ir trabalhar, voltando às 20.30. Os filhos são dos dois, ambos nos estafamos (mas eu mais hiihi).

Lu disse...

o hotel onde ficaste sabe como cativar os clientes, deixá-los com saudades... =)