sexta-feira, outubro 15, 2010

Oh, eu confesso, eu confesso, 50 chicotadas no lombo

Nunca li nada do José Luís Peixoto.
[silêncio]
[o drama, o horror]

Aliás, nunca tinha ouvido falar no rapaz até há uns mesitos.
[herege, herege]

[mas já li os russos, os gregos, os britânicos, os americanos, alguns alemães e poucos franceses, caso dê para compensar qualquer coisita e baixar para 45 chicotadas]

[mas hei-de ler, há que saber porque anda tudo - e por "tudo" entenda-se jovens mulheres e mundo literário - tão eufórico com o homem [será das tatuagens?]]

15 comentários:

Mak, o Mau disse...

Se é para levar chicotadas com esse entusiasmo, não faltará gente a dizer que nunca leu os Maias, o Diário da Maria ou sequer frases obscenas na porta do WC...

camaleoa disse...

Nessa ordem de ideias eu vou levar 100 chibatadas..
Hahaha..

:o))

Lolita disse...

O "rapaz" escreve bem, muito bem aliás. Tem uma escrita muito própria, e os livros dele tem sempre algo de muito pessoal. Os livros dele comecei a ler este Verão, mas já conhecia algumas das crónicas e poemas.

H. Ayres Pereira disse...

vale a pena. mad skills, e abandonou toda uma vida pela escrita.

quem sabe

uma tattoo

kiss me disse...

Se és tu que dizes, vou já ler ;)

Espiral disse...

Ele escreve lindamente. Força. Começa pelos primeiros, para entrares bem no estilo =)

Eu não sei como ando sempre à frente das modas, leio os livros dele desde que os começou a publicar... e adoro-o sem histerias porque não sou dada a essas coisas =P. Aliás, o facto de ser modo irrita-me um bocadinho...

Ricardo disse...

... quem é esse joveno?
nunca ouvi falar xD

Kikas disse...

para mim são cem chicotadas x)

Ana disse...

Eu já li um livro dele, curiosa por todo o barulho. Não é mau, mas não é espectacular. Não fazes mal em lê-lo, obviamente, mas há coisas melhores para leres :)

e dentro de modas e escritores portugueses, prefiro o valter hugo mae.

*

Susana disse...

não, não é das tatuagens.
é da forma como domina as palavras, como retrata histórias. é da forma como sabe exprimir sentimentos, como se expressa em palavras simples, como por vezes nem precisa das palavras para transmitir a mensagem.
tanto a prosa como a poesia dele são óptimas (e não, não é euforia repentina, visto que já o leio desde há uns bons anos, desde os primeiros livros que publicou).
e, só para terminar, porque escreveu esta frase, que para mim é amor no seu sentido mais puro:

"mãe, cada palavra que me ensinaste repete mil vezes o teu nome"

resumindo, aconselho-te vivamente:)

'Mimi disse...

Também nunca tinha ouvido falar do senhor até lançar o novo livro...

Panda disse...

Eu que ganho parte da vida a vender e a ler livros não estou a ver quem ele é... e neste caso se tens de levar 50 chicotadas nem sei quantas tenho de levar eu... é mesmo grave. Vou já investigar o moço.

a mulher certa disse...

lol

merece ser lido, mas não todos os dias.

Miss B-Beautiful disse...

Eu também já li muita coisa mas nada do Sr. Peixoto. Temos pena!! Um dia chegará o dia dele... ;)

Mar disse...

A susana é que disse tudo.
O Peixoto é bom porque é genuino, é lindo porque não se envergonha das suas origens, é uma ternura porque é tímido e quando apresenta os seus livros quase parece querer desculpar-se pelo sucesso.
Não, não é pelas tatuagens nem porque seja sequer um homem bonito. É porque lançou o "Morreste-me" em edição de autor com 500 exemplares só porque precisava de dizer como a morte do pai o amputou, porque a seguir ganhou prémios com o "Nenhum Olhar" ou a "Criança em ruinas". Este comentador que diz que trabalha com livros não deve ter ainda assim muita experiência no traBalho...
E sim, o meu comentário é efusivo porque o conheço desde que O Director da Biblioteca de Beja - o meu, nosso amigo Figueira Mestre, já falecido - o descobriu e o trouxe para o que haveria de ser o seu primeiro lançamento de livro (precisamente o Morreste-me há 10 anos).
E é mordaz porque se ele fosse um menino fino da linha Rebelo Pinto todos os comentadores anteriores o conheceriam, decerto.