terça-feira, dezembro 15, 2009

Coisas que me ultrapassam

Se há coisa que não percebo é como é que uma rapariga/mulher com dinheiro para tal, escolhe não tomar a vacina para o HPV. Uma das justificações que me dão é que é só até aos 26 anos. Ora, se se informassem bem saberiam que essa é a idade limite aconselhada, porque se supõe que a partir dos 26 as mulheres já tenham uma relação séria e uma vida sexual estável (yeah, right!). Depois dizem-me que não protege contra tooodos os tipos de HPV, mas a verdade é que protege contra os mais prejudiciais. Na minha opinião bastaria proteger contra apenas um, mas isso sou eu. Dizem-me ainda que são muito cuidadosas ou que têm relações sérias e que os namorados fizeram exames antes de começarem a ter relações, logo não correm o risco de apanhar nada. Ora, à conta do número de abortos que se fazem por aí, diria que nunca ninguém é totalmente cuidadoso. Pode sempre haver um momento de loucura em que se esquecem precauções, o preservativo pode romper, num caso mais extremo o namorado pode trair e trazer doencinhas para casa ou num caso ainda mais extremo, pode ser vítima de uma violação.

E depois? Depois é só queimar uma parte do útero para resolver o problema (se resolver!), aumentar em bastante % a probabilidade de vir a ter cancro do colo do útero e ter que ser acompanhada constantemente para o resto da vida para não ter problemas de maior. Coisa pouca, portanto.

47 comentários:

Anónimo disse...

Esses argumentos só revelam a ignorância assustadora da população portuguesa. Eu tomo a terceira dose em Janeiro e agora sinto-me muito mais descansada,

Pedro disse...

Fizeste-me ir investigar o assunto.

Encontrei este estudo:

http://www.health-science-report.com/alotek/topics1/article474/pt

kiss me disse...

Só que esse Beta-mannan além de não estar cientificamente provado (há estudos mas não conclusões) ainda não está disponível em qualquer farmácia, enquanto as vacinas estão.

Fuschia disse...

Não me informei muito sobre o assunto, por isso posso estar completamente errada, mas também não tenho ideia de a vacina ser muito vantajosa, dado que não proteje contra todos os tipos de cancro. Mas é claro que a minha opinião mudaria completamente se sequer desconfiasse de sintomas.

Analog Girl disse...

Este ano tomei as várias doses da vacina pouco antes de completar os 27 anos, aconselhada tanto pela minha ginecologista como por um oncologista. Sei o que é viver este cancro na linha da frente, e não me atrevo a correr riscos desnecessários.
Não compreendo como é que há quem se recuse a tomar a vacina.

Luna disse...

Bem, como sabes já falei do assunto, e até sei umas coisinhas sobre ele, mas aqui vai.

Eu tenho 29 anos e estou a tomar a vacina contra o HPV, por recomendação do meu ginecologista. Isto porque, tudo indica, não fui ainda infectada com HPV, pelo que há uma grande probabilidade da vacina ser útil.

A vacina - existem duas, gardasil e cervarix, mas fiquemo-nos pela gardasil que é a mais comum - protege contra 4 tipos de HPV, 2 benignos, o tipo 6 e 11, causadores de "genital warts", e 2 malignos, os tipos 16 e 18, responsáveis por cerca de 70% dos casos de cancro do colo do útero causados por HPV.

A razão pela qual a vacina é recomendada até aos 26 anos não se prende com a estabilidade da relação, mas com a probabilidade de ainda ser eficaz, uma vez que só protege mulheres que ainda não foram infectadas com os tipos 6, 11, 16 e 18. Ou seja, tendo em conta que são transmitidos por via sexual, a probabilidade de não se estar infectada aumenta quando o número de parceiros é mínimo, sendo o ideal que fosse administrada a raparigas que ainda não iniciaram a sua vida sexual.

Isto porque a vacina protege apenas contra o vírus, através de uma resposta humoral, isto é, produção de anticorpos. Já quando existe infecção, para haver protecção teria de existir uma resposta imunitária contra as células do cervix infectadas, ou seja, uma resposta celular mediada por células T, que têm capacidade de matar outras células. (é aqui que entra a vacina que eu estou a desenvolver)

Ainda assim, dependendo da história de cada uma, do número de parceiros que teve, e se usou ou não preservativo, mesmo sendo mais velha pode ainda estar em condições de ser vacinada.

Espero ter sido clara, mas qq coisa é só perguntar.

Luna disse...

P.S. E essa conversa da relação estável blá blá blá, estou mesmo a ver os homens todos de portugal a fazer testes para o HPV. Deve mesmo ser uma coisa muito comum, deve deve...

Página da wikipédia:

http://en.wikipedia.org/wiki/Human_papillomavirus

(By the way, o HPV também causa cancro no homem, embora seja menos comum. Pode causar cancro peniano, e, nos homossexuais no anus. Pode causar também cancro na boca e garganta, ou seja, é um fofinho, pelo que para quê vacinar?)

kiss me disse...

Luna, quando fiz o post lembrei-me logo de ti, porque das pessoas que eu "conheço" deves ser quem mais sabe do assunto.

Claro que quando falo em tomar a vacina, é mulheres que sabem que não foram infectadas (ou que já tenham sido mas que tenham "eliminado" o virus). E se uma pessoa se pode proteger, não percebo porque não fazê-lo.

Espero que a tua investigação tenha o maior sucesso possível!

Luna disse...

P.S. E contrapor a vacina com um suplemento alimentar (beta-mannan) que é vendido num site com publicidade para as profecias da bíblia, enfim...

Luna disse...

Sim, também me ultrapassa...

anita disse...

tomei logo que saiu a vacina*
tenho irmas mais novas que tambem ja tomaram*
aconcelho

leticiakika.blogspot.com disse...

o melhor é prevenir, claro. e infelizmente há mtas pessoas mal informadas

Cátia Gomes disse...

Eu já tomei. Com 26 anos. Tomei, porque tomaria em qualquer caso, mas tomei também porque estive em contacto com o HPV tipo 33 (que é uma daqueles mauzinhos). Não cheguei a ficar infectada graças ao meu sistema imunitário. Mas o papanicolau deu o alerta. Entretanto já fiz outro e ele já desapareceu. Mas agora, claro, todo o cuidado é pouco.

Alexandre disse...

:O

Anónimo disse...

olá, não costumo comentar o teu blog mas não posso deixar de dar a minha opinião como futura profissional de saúde.
sou aluna do 3º de ciências farmacêuticas e estou de momento a ter a cadeira de virologia, portanto sei do que estou a falar...
o que se passa é que esta vacina é bastante recente e só existem dados desde há 6 anos para cá, se não estou em erro...portanto, ainda não se sabe exactamente durante quanto tempo a vacina terá acção preventiva (sim, porque a vacina funciona de forma diferente das outras vacinas).
portanto, o que a minha professora de virologia deu a entender foi que, tendo em conta a pouca informação existente, cabe a cada um decidir de acordo com os possíveis comportamentos de risco que tenha. Mas ela nunca nos aconselhou a tomar a vacina.

Eu, por exemplo, estava a pensar tomar a vacina e com a explicação dada acabei por optar por evitar comportamentos de risco e aguardar mais uns anos até que saiam mais estudos clínicos.

Rita

Luna disse...

Rita

a escolha é entre uma vacina que se sabe ser eficaz, pelo menos durante alguns anos, contra um vírus extremamente comum e com o qual grande parte das pessoas virá a ter contacto durante a vida, e que se sabe ser causador da maioria dos casos de cancro do colo do útero, que, by the way, é mortal, e cujo tratamento consiste em excisão local (tanto da zona do colo do útero afectada, ou da vulva, no caso de ser cancro genital) seguido de quimio e/ou radio terapia, ou nada. Mal por mal, I'll take my chances com a vacina, e com protecção que me posso dar contra um cancro relativamente a nenhuma. Ah, e mesmo tendo cuidado, a não ser que se pratique a abstinência, é sempre possível contágio, porque, then again, é um vírus mesmo muito comum e facilmente transmissível por contacto.

Pouco é melhor que nada, na minha modesta opinião.

P.S. Tenho uma amiga histologista no hospital de évora, que faz análise de citologias, e que já encontrou amostras de adolescentes de menos de 16 anos infectadas com mais de 10 tipos diferentes de HPV.

Anónimo disse...

Vou-vos ser sincera...
Tenho 26anos, faço o papanicolau anualmente, até ao momento sem qualquer problema...(Já agora, através do papanicolau conseguimos saber se fomos infectadas com algum virus, ou existe outra análise específica?). Tenho uma razão super-SUPER-estável. Na minha vida só tive relações "desprotegidas" com 2 pessoas, ambas relações de vários anos...
Não tenho, nem de longe, nem de perto, comportamentos agressivos.
Pergunto-me, valerá mesmo a pena tomar medicação/vacina?? Detesto tomar medicamentos...intoxicam-nos.
Carla

Anónimo disse...

Vou-vos ser sincera...
Tenho 26anos, faço o papanicolau anualmente, até ao momento sem qualquer problema...(Já agora, através do papanicolau conseguimos saber se fomos infectadas com algum virus, ou existe outra análise específica?). Tenho uma razão super-SUPER-estável. Na minha vida só tive relações "desprotegidas" com 2 pessoas, ambas relações de vários anos...
Não tenho, nem de longe, nem de perto, comportamentos agressivos.
Pergunto-me, valerá mesmo a pena tomar medicação/vacina?? Detesto tomar medicamentos...intoxicam-nos.
Carla

Ana disse...

Vou-vos ser sincera...
Tenho 26anos, faço o papanicolau anualmente, até ao momento sem qualquer problema...(Já agora, através do papanicolau conseguimos saber se fomos infectadas com algum virus, ou existe outra análise específica?). Tenho uma razão super-SUPER-estável. Na minha vida só tive relações "desprotegidas" com 2 pessoas, ambas relações de vários anos...
Não tenho, nem de longe, nem de perto, comportamentos agressivos.
Pergunto-me, valerá mesmo a pena tomar medicação/vacina?? Detesto tomar medicamentos...intoxicam-nos.
Carla

Luna disse...

Ana

o papanicolau é exactamente um teste citológico para ver se as células do cervix estão normais ou se há lesões cancerosas - a maioria causadas por infecção por HPV - ou que possam degenerar em cancro. Exactamente por nunca te ter sido detectada infecção por HPV é que estás nas condições ideais de ser vacinada.
Depois, embora o uso de preservativo ajude na prevenção, não é infalível, porque o contágio pode ocorrer através de qualquer contacto com pele exposta, que, convenhamos, acontece e bem em relações sexuais, mesmo com preservativo.
Por fim, embora não tenhas comportamentos de risco, podes jurar pelos teus parceiros? Podes ter a certeza de que no futuro não encontrarás alguém infectado? Possivelmente, não.
Se vale a pena? Depende. Achas que vale a pena alguma prevenção, pequena que seja, contra um vírus que causa cancro fatal e cujo tratamento consiste em remoção de uma parte dos órgãos genitais ou reprodutores? Deixo ao teu critério...

Anónimo disse...

Luna, eu sei de tudo isso.
No entanto, cada um sabe de si...e não acho descabida a hipótese de não tomar a vacina. pelo menos não por enquanto.


Rita

Ana disse...

E em relação à implicação da toma da vacina. Sei lá, sempre me disseram para evitar ao máximo vacinas e coisas afins...Quais as suas contra-indicações/possíveis consequências?! Tenho medo de a tomar sem necessidade e vir-se a revelar, daqui a uns anos, que afinal de contas ela tinha efeitos negativos para a saúde...

Anónimo disse...

Em princípio efeitos nocivos não tem (pelo menos os riscos são os de qualquer outra vacina - sim, porque todas as vacinas têm riscos).
mas não existe informação...porque a vacina existe há pouquíssimo tempo.

daí que nas aulas os professores sempre terem aconselhado a termos o máximo de cuidado e evitarmos comportamentos de risco (o que quer dizer: usar sempre preservativo).
No entanto, nenhum deles nos aconselhou a tomar a vacina porque ainda não existem dados suficientes que nos garantam que a dita vacina terá eficácia a longo prazo.

E os meus professores percebem muito do assunto...

Mas, mais uma vez, cada um sabe de si!

Rita

Luna disse...

Ah sim, cada um sabe de si... O cancro não é meu, quero lá saber.

Quanto a tomar vacinas, bem, as vacinas são só a forma mais eficaz de combater infecções da história da medicina, e muitas doenças foram erradicadas devido à vacinação, como a varíola, etc.
Quanto a efeitos nocivos, sim, qualquer vacina pode ter efeitos secundários indesejados - raros, mas sim, uma possibilidade -, mas geralmente não a longo prazo. Mas se essa é a tua preocupação, se calhar em vez de ires pelo que "sempre te disseram" - quem? médicos? profissionais de saúde? amigos e familiares? - seria boa ideia consultares o teu ginecologista e pores-lhe essas questões. Quanto a isso de evitar as vacinas, pois... antigamente é que era bom, quando boa parte das criancinhas morria na infância devido a doenças contagiosas que hoje são prevenidas através da vacinação. Mas enfim...
Mas claro, a decisão é tua. E o risco também.

Anónimo disse...

Pá... Tanta ignorância junta... Olhem, eu também fui muito certinha na minha vida íntima, e o hpv 44/45 cá está. Agora estou a tomar a Cervarix, para evitar ser contagiada com outros tipos de hpv. Mesmo o marido mais fiel pode estar infectado e não saber, já que muitas vezes o vírus é assintomático.

Quanto à pessoa que diz que cada um sabe de si, é verdade. Mas isso de achar que se deve evitar vacinas, é uma coisa terceiro mundista. As vacinas foram responsáveis pela erradicação de muitas doenças mortais no mundo ocidental, como a varíola, e são sem dúvida um dos maiores avanços na história da saúde. Os leigos (nos quais eu me incluo pois estou noutra área de investigação) devem acreditar nos investigadores e médicos, pois eles sabem melhor que nós o que é melhor para nós. É que há coisas que não são uma questão de opinião, mas de experimentação!

Peço desculpa pelo tom irritado do comentário, mas há coisas que me tiram do sério, e a ignorância é uma delas. O que é que vem a seguir? Dizerem-me que só os homossexuais apanham sida??!!

M.

Luna disse...

Só mais uma coisa: esse argumento do ainda não se sabe se é mesmo eficaz para mim não pega. Para estar no mercado é preciso que a vacina tenha passado por ensaios clínicos, num processo de pelo menos 8 anos, nos quais demonstraram eficácia. Se não se sabe se será eficaz durante 20 anos? Pois, não, mas entretanto saber-se-á, e se forem necessários reforços, como noutras vacinas, poderão dar-se.
Por essa ordem de ideias para quê congelar as células estaminais do cordão umbilical dum filho? Para já não servem para nada - ou quase nada.
Eu só pró-vacinação, no geral, pois é a melhor forma de evitar uma doença.

Além de que não estou aqui a falar de cor: estou a fazer doutoramento em ciências farmacêuticas, mais precisamente no desenvolvimento de uma vacina imunoterapêutica contra cancro do colo do útero - ou seja, para mulheres com lesões já existentes, cancerosas ou pré-cancerosas. Ou seja, é um tema que domino.

Luna disse...

Ah, e mais uma coisa, quando se diz cada um sabe de si, sim, é verdade, mas também é verdade que escolhendo não ser vacinados se podem tornar veículos de transmissão, passando a não ser apenas um problema seu, mas dos outros.
As doenças que foram erradicadas só o foram porque o programa de vacinação foi abrangente a uma grande maioria da população, eliminando-se assim veículos de transmissão. De modo que, ao recusarem ser vacinadas, podem estar a contribuir para o cancro futuro de outra pessoa, e isso deixa de ser problema de cada um, mas problema de todos.

(grande chata, eu sei, mas é que me ultrapassa mesmo)

Anónimo disse...

eu nunca disse que era contra as vacinas! LOL
se fosse contra a vacinação estava na área errada.

simplesmente tive em conta o que os meus professores (que só por acaso têm imensas publicações e prémios de mérito científico) me disseram nas aulas...

enfim, só quis dar a informação que sabia sobre o assunto.

Rita

kiss me disse...

Eu até ia comentar e defender a minha posição, mas a Luna diz tão bem tudo o que eu penso, que nem vale a pena.

A mim ultrapassa-me completamente.

Luna disse...

Rita, a resposta não era só para ti.
Anyway, com certeza os teus professores sabem muito, e como tal dizem a verdade, e a verdade é que a longo prazo ainda não se sabe.
Mas disseram para não tomar? Disseram que não era eficaz? Certamente não, porque não se sabe.
De qualquer forma, quanto mais cedo começar o combate, melhor. Mesmo que daqui a uns anos venha a ter de ser vacinada outra vez, com uma vacina mais eficaz, e contra vários tipos.

Anónimo disse...

sim, tens razão luna.

mas tendo em conta o facto de sermos estudantes e da vacina ainda ser cara, para além de ainda n se saber a sua eficácia a longo prazo...se calhar leva a que os professores não nos aconselhem a tomar a vacina.

o que eles disseram foi 'vocês é que sabem se têm algum comportamento de risco e se acham que vale a pena ou não de acordo com a informação que se tem até agora' (foi mais ou menos isto)

e como profissionais de saúde, o que nos dizem sempre é que devemos informar as pessoas mas a decisão final cabe a cada um.

na aula em que falámos sobre o HVP também houve alguma polémica...mas a conclusão final foi a que já referi mais acima.
e só comentei porque não concordei muito com o 'tom' do post (que está um bocado do género "seus ignorantes vão já todos levar a vacina") e que devia referir o que me tinha sido dito por experts no assunto...

Rita

Luna disse...

Rita, o que interessa a longo prazo se fores infectada para o ano e desenvolveres lesões pré-malignas nos próximos 5 anos?
Sim, não se sabe daqui a 20 anos, mas alguém está disposto a deixar de ter sexo e esperar até se saber?
Sabe-se que, pelo menos, a curto prazo é eficaz - segundo os ensaios clínicos, para além dos anos de testes em animais que se lhes antecedem.
Se me proteger durante 5 anos, para mim, já vale a pena.

Anónimo disse...

sim, tens razão. mas não vale a pena estar a repetir o que disse anteriormente.

acho que já me fiz entender.


Rita

Catarina Duarte disse...

Eu cá ando a tomar... Este ano são as raparigas 1992, então aproveitei... Sim, porque parecendo que não aquilo ainda sai caro.

Outra que eu acho piada é a de dizerem "ah, mas tu já não és virgem, isso já não tem o mesmo efeito". Ó pá... --'

Ines C. disse...

e ainda falam em gripe A. Tomem essa vacina mas é, que um cancrozinho não há de ser nada.
Adorei a iniciativa e a maneira como escreves, seguir-te-ei.

kiss (nao na boca)
IC.

Praganitas disse...

Só uma coisinha... O HPV também se transmite através dos pelos púbicos, certo? Não é só através dos fluidos genitais.
É que o preservativo não nos protege do contacto com os pelos da região uro-genial! Não é só a evitar comportamentos de risco que se vai lá!
Sim, sou a favor da vacina! Antes uns anos de protecção que uma vida inteira de riscos/probabilidades/predisposições.
A Gardasil já cá canta. Tenho 23 anos e também estudo Ciências Farmacêuticas.

E já agora Rita, não querendo de modo algum desdizer o que os professores te disseram; o que achas da vacina da gripe sazonal?
Embora seja substancialmente mais barata, muda todos os anos... e é uma gripe, não é um cancro... é que esse argumento de não saberem se é eficaz não me parece um bom argumento! Como a Luna já disse, são necessários testes para introdução de vacinas no mercado...

Praganitas disse...

*uro-genital queria eu dizer!

Pedro disse...

Resumindo tudo: Mal não faz. Não é?

Então mais vale prevenir um cadito do q ficar totalmente exposta. Pegando no tema do post, quem tem posses para tal, nem sequer devia pensar duas vezes. Mal não faz!

I. disse...

Pô, eu cá só não tomo uma vacina contra a caspa porque não há.
E a da gripe sazonal não tomo, mas por outras razões (tomei uma e correu mal, fiquei a modos que traumatizada, prefiro a gripe). Mas hepatites e o resto, já cá cantam, e a da gripe A também a vou tomar (se ma derem)

Esta, não tomei, mas só porque a minha médica desaconselhou. Eu pedi, mas ela disse que não valia a pena, no meu caso, por causa da idade e tal (já não sou assim tão jovem), porque nunca estive infectada e tenho uma relação estável.
Mas vou-lhe perguntar outra vez, afinal isto já se passou há coisa de 4 anos.

É verdade que cada um deve aconselhar-se com o seu médico, mas estando em condições de ser vacinado, embora! Só o que se poupa em ralações, geee.

Allie disse...

A questão começa pelo facto de nem toda a gente poder pagar essa vacina. E depois? Como dizer a uma jovem de 20 e poucos anos que está doente porque não teve 500 eurospara pagar a vacina? Quanto às que podem fazê-lo e optam por não fazer, que seja em consciência. Que se informem devidamente e depois decidam como entenderem.

Maria disse...

Nao percebo como e que tendo dinheiro, se tomam atitudes dessas.. podendo prevenir, nao ha que correr riscos..

Beijinho

Rita disse...

Kiss,
Tinha exactamente a mesma opinião que muitos de vcs. Tenho 28 anos, fui à ginecologista, fiz o papanicolau e perguntei pela vacina e a minha ginecologista aconselhou-me a não tomar. Acrescentou mesmo que se o quisesse fazer teria que pedir a receita a outro médico. QUe fazer neste caso?De qualquer maneira vou a Portugal passar uns dias e a ver se falo com o meu médico de familia, mas parece que ainda há alguma discordância na classe.

Bjs Rita

Kikas disse...

os meus pais eram da opinão que eu levasse a vacina, logo quando se começou a falar.. mas consultei vários médicos, que me aconselharam a esperar, por ser uma coisa ainda recente. agora, ainda não fui chamada mas também não sei se a quero levar.. estou pouco informada acerca do assunto e ouço mais mal que bem. não é à falta de me tentar informar, mas tudo o que ouço é contraditório! portugal, enfim.

Evinha disse...

Ohh lindona já tinha saudades!..e ainda não deu para matar pois não?!

..e a festinha a seguir foi boa??

..tínhamos uma lembrancinha para ti na mala do meu carro ..uma para ti e outra para a Maria João.. mas depois esqueci-me de dar ..e a minha mana também não se lembrou:( ..olha fica uma lembrança fora de época;ppp

Beijinho bom;***

Bluebluesky disse...

E para além das consequências que poderão surgir e do medo que te acompanha, é horrível ir tratar e andar a ser seguida meses ou anos pela m*erda do HPV..... :(

Miss Sonica_Sonia Gonçalves disse...

Viva a Luna. Está 100% certa.

Sofia disse...

Olá Luna,
Tenho 29 anos e sou portadora de HPV. Tive uma lesão de baixo grau que foi removida (por escolha minha pq no hospital não queriam remover por ser tão pequena) e aconselharam-me a vacinação por poder contribuir para a diminuição do risco de re-infecção.
Não tenho as estirpes possíveis de vacinação (6, 8, 16 e 18) mas também não tenho possibilidades de comprar a vacina mais cara, só a mais barata que fica por cerca de 50eur a dose.
Apesar da minha idade, não tenho ainda a tal vida sexual estável porque não tenho namorado e, no futuro, quando voltar a ter, não vai vir com rótulo dos vírus que possa trazer com ele. Para mim é fundamental vacinar-me e vou tomar a vacina mais barata que só protege contra as estirpes mais graves porque é a que posso pagar actualmente.
Aproveito ainda para divulgar a informação que me foi dita pela minha ginecologista. O HPV é mais pequeno que os poros dos preservativos e por isso transmissível mesmo com uso de preservativo. Todos nós estamos expostos ao contágio... Cabe a cada um decidir se quer ou não utilizar as ferramentas que a ciência já possui para prevenir futuras doenças com tratamento muito doloroso e que pode resultar em morte.