sexta-feira, janeiro 23, 2009

Night at the movies

Ontem foi, mais uma vez, noite de cinema. Como na noite anterior tinha morrido de medo da chuva e do vento e sabia que esta noite ia voltar a chover e a ventar, decidi ocupar os pensamentos com algo melhor do que barulhos assustadores na minha janela: o Brad Pitt. A história baseada no conto de F. Scott Fitzgerald pôs-me a chorar desalmadamente, como, aliás, já tinha acontecido com o Seven Pounds. Mas se nesse a companhia era feminina, partilhando as minhas lágrimas, neste a companhia era masculina, logo, era necessário portar-me como uma mulherzinha e não inundar o chão dos cinemas do Arrábida. Mas não, a parte final onde ela, já velha, cuida dele bebezinho partiu-me o coração e no fim do filme lá estava eu novamente com um aspecto lastimoso. Olhos vermelhos e inchados, manchas na cara, fungosa e ranhosa. Um mimo! O espécime masculino ri-se e diz "és tão engraçada" enquanto a expressão grita, descaradamente, "mulheres!"
  

23 comentários:

Evinha disse...

lollll ..mas nós conhecemos alguns bem "típicos homens" ..que tb choraram ..;)))
P.S. ..temos de repetir ..adorei a noite calminha de cinema.. e a companhia tb;)
beijão!

molp disse...

Queria ver esse e o changelling. Vi o 7 pounds e gostei. Como vês, não gosto só de filmes de terror ou sobre serial killers :p até

Anónimo disse...

correcção: changeling, só com um l

Anónimo disse...

gosto tanto de ti

Clementine Tangerina disse...

É um grande filme! Amei!

Mnemósine disse...

Também tive de me roer toda para não chorar e mesmo assim cairam umas lágrimas. E o nó na garganta depois...

Anónimo disse...

SPOILER!!!

õ_O

marta disse...

Muito bem estruturado, mas não podia deixar de ser, porque o autor é um génio.
Não sei se o Brad Pitt ganha o óscar, uma vez que ele já teve interpretações melhores - é difícil superar o 12 monkeys!

Nesta linha de filmes, aconselho o Big Fish, do Tim Burton, com o Ewan McGregor e a Helen B. Carter.

sweetie disse...

Tenho mesmo de ver! Tudo o que li sobre o filme é sempre a exultá.lo! Assim que tiver um tempinho, rumo logo ao Norteshops =) ***

Lolipop disse...

Amanhã também vou ver...

Kami disse...

Também vi o filme sexta feira e ainda me estou a recompor. Acho que é impossível não chorar. Especialmente nessa parte em que ela toma conta dele já no fim. Tentei encontrar uma foto para por no meu blog daquela cena em que estao de mao dada de costas a andar. E já mal andam os dois, ela de velha e ele de criança...

Anónimo disse...

És tão fofinha!!! Sexta feira eu tinha planeado ir ver a Troca, com a Sra Pitt, mas trocaram-me as voltas e fomos ver Revolucionary Road... :( Não gostei muito... é daqueles filmes que não me disse grande coisa... e isso é raro!!! Fica a expectativa do próximo filme! ;) Um beijinho grande

Juca (agora anónima :( )

António Raminhos disse...

Oh pá... essa cena de contar o fim... é que... :S

AR

www.antonioraminhos.blogspot.com

Deisi disse...

Oi..não sei se você conhece, mas tenho um blog de sorteios e promoções, e estou fazendo um sorteio lá, Participe!!!

http://bahtrilegaltche.blogspot.com

Bjkas

JPT disse...

Sim, é um bom filme. Mas três horas parece-me exagerado, para ser honesto. De qualquer forma, Oscar material.

Mónica Lice disse...

Quando puderes, envia-me um e-mail, pois gostaria de contactar contigo, mas não tenho o teu endereço electrónico.

Beijinhos.

Sofia disse...

Uma prenda para ti aqui:

http://osdesabafosdasofia.blogspot.com/2009/01/e-oficial-estou-adorar-os-selos-parte.html

Bjocas

Capitão Microondas disse...

Eu sou gajo e também me comovi nesses dois filmes. Mais no Seven Pounds (que inexplicavelmente está muito mal cotado provando que eu de cinema não pesco nada, só de boas histórias mesmo).

Mas o meu top baba e ranho continua a ser, para sempre, Cinema Paraiso. Era puto, em vez de estar a engatar estava numa sexta à noite em casa a ver a RTP e vejo começar um filme italiano. Prenûncio de depressão.
Acabei a noite a chorar baba e ranho e com a sensação que tinha visto o melhor filme da minha vida. Totalmente inesperado e por isso... o melhor.

Capitão Microondas disse...

Eu sou gajo e também me comovi nesses dois filmes. Mais no Seven Pounds (que inexplicavelmente está muito mal cotado provando que eu de cinema não pesco nada, só de boas histórias mesmo).

Mas o meu top baba e ranho continua a ser, para sempre, Cinema Paraiso. Era puto, em vez de estar a engatar estava numa sexta à noite em casa a ver a RTP e vejo começar um filme italiano. Prenûncio de depressão.
Acabei a noite a chorar baba e ranho e com a sensação que tinha visto o melhor filme da minha vida. Totalmente inesperado e por isso... o melhor.

nika_liu disse...

O filme ganha pela história em si. Porque está muito bem contada, porque é maravilhosamente bela e triste...de amor e de perda...

Armazém de Ideias Ilimitada disse...

Não sei, esperava melhor...Gosto mais de filmes que nos deixam a reflectir e que nos oferecem ensinamentos para a vida. E este é mais para o surrealista...

Há, o Revolutionary Road é simplesmente brutal. Muito actual (infelizmente) e de grande teor psicológico. Aliás, cheio de pormenores psicológicos.

Ana Marta disse...

Não sei se já está em Portugal,mas leva-o a ver o Wrestler da próxima vez! Quando vi o Benjamin Button também chorei e tive a mesma reacção (que to tiveste) do meu marido, mas esta semana fomos ver o Wrestler e quando acabou o filme estávamos ambos em lágrimas. Quando devolvi a piadinha respondeu-me "ah, mas este é um filme de homens, sobre lutadores, muito emocionante, não faz mal chorar". ;-)

Girilim disse...

o truque é não levar maquilhagem. Pelo menos não ficas borratada :)