segunda-feira, outubro 06, 2008

Promessa de uma hipocondríaca

Eu, Rita Kiss me, aqui me confesso. Sou um bocadinho (assim pequerruchinho) hipocondríaca. Não chego a ser como os homens, para quem arrancar-lhes um cabelo é motivo para gritos, cara feia, lagriminha no canto do olho, e 8 dias de cama. A minha hipocondria começou por imaginar que ia ter uma embolia sempre que apanhava uma vacina, cambaleando sem forças para fora do centro de saúde sob o olhar atento mas gozão da minha mãe. O meu problema neste momento são as bulas, as terríveis bulas. Quando leio uma bula os meus olhos percorrem todas aquelas letrinhas pequeninas até aos efeitos secundários. E de repente parece que sinto todos. Hoje de manhã tomei um simples comprimidinho às oito da manhã enquanto lia a bula. Às nove comecei a sentir-me enjoada, um nó no estômago, os olhos começaram a ficar embaciados e as lentes a irritar-me, uma enxaqueca assaltou-me de repente enquanto sentia um formigueiro nos braços e dores nas pernas, uns suores frios e um calor excessivo e sou capaz de jurar que tive uns bons 30 segundos de febre. Eu, como sou inteligentezinha, penso logo "ganha juízo miúda, isto é tudo psicológico" mas depois vem-me aquele pânico e o pensamento "e se eu sou aquele 1 caso em 10000 a quem o medicamento pode causar coisas horríveis?".

Por isso aqui prometo, perante vós, que a partir de hoje vou confiar mais nos papás (que se estudaram medicina e a exercem há 30 anos devem saber umas coisinhas) quando eles me derem alguma coisa para tomar e nunca mais lerei uma bulazinha sequer na vida.

8 comentários:

KITTY disse...

Acho que a isso se chama efeito placebo.. Não leias as bulas por uns tempos.. é melhor pra todos! ;)

*BJS*

Emma disse...

decisão prudente :)

Dreamer disse...

Se calhar é mesmo o melhor!!!Pelo menos evitas os efeitos secundários!!

JC disse...

A melhor coisa a fazer é ignorar a bula!!! é uma forma muito delicada de os laboratórios farmacêuticos terem as costas quentes... Assim se acontecer qualquer coisa eles dizem: "Nós avisámos, a culpa é do médico!!".
Enfim...

Maria João disse...

Excesso de informação nem sempre é bom... falo por experiência própria!!! :)

Beijinho amiga!

Ana GG disse...

Desculpa a invasão...
Deixei de ler as bulas há uns anos. Entrava em pânico de tal forma que antes de tomar o comprimido avisava a família toda para que chamassem o 112 se me achassem esquiita. É que sou alérgica à composição de alguns medicamentos e tenho sempre medo dos que desconheço.

bjo

MT disse...

E não somos todos assim? Eu sou! E quem me conhece sabe a figura que faço sempre que uma seringa está envolvida....
Há coisas que não mudam com a idade....

Anónimo disse...

Hã?!

----
bula:


do Lat. buila


s. f.,
selo antigo com uma bola de metal pendente;

carta patente com decreto pontifício;


Bot.,
árvore africana cuja madeira se emprega em construções;


Ictiol.,
grande peixe africano;


Zool.,
género de moluscos da ordem dos opistobrânquios, algumas espécies dos quais são muito comuns na costa de Portugal;


fam.,
impostura;

fanfarrice;

mentira;

(no pl. ) capacidade para alguma coisa;

(no pl. ) habilitações