quinta-feira, dezembro 06, 2007

A velha do Restelo

Já não posso ouvir falar do maldito Acordo. Para vocês que só ouvem falar disso nas notícias ou pesquisando na internet até deve ser um assunto minimamente (minimamente!) interessante, mas eu, que trabalho numa editora, tenho que levar com ele (o Acordo, entenda-se) todos os dias. E sou totalmente contra o mesmo. Primeiro por razões profissionais. Ah e tal, mas se o Acordo for para a frente as pessoas vão desatar a comprar novos dicionários e livros, vais ter montes de trabalho e lucro, dizem vocês. E os outros milhares de livros e dicionários que saíram recentemente ou que estão a ser paginados neste preciso momento e cujo custo de obra já vai bem rechonchudinho? Ah pois é, ninguém parece lembrar-se disso. Ainda dentro das razões profissionais posso dizer que o Acordo vai ser muito mau para as editoras em particular e para a economia do país em geral. Em África, o português é escrito com a mesma grafia que em Portugal, logo as editoras que mais exportam e vendem em Angola, Cabo Verde, Moçambique e São Tomé são as portuguesas. Com uma unificação da grafia (que beneficia claramente o Brasil), vão ser as editoras brasileiras que mais vão lucrar, podendo invadir o mercado africano a qualquer hora. E por último, por razões meramente pessoais e diria mesmo, racionais. Não é por vermos acto escrito ato que não vamos entender uma frase ou vice-versa. As diferenças da língua entre os países de língua portuguesa e as dificuldades de comunicação ou entendimento vêm de diferenças lexicais ou semânticas (ou seja, das palavras e seu sentido) e não gráfica! As diferenças são que em brasileiro diz-se presunto, enquanto aqui dizemos fiambre (palavra que lá nem existe), dizem privada enquanto nós dizemos sanita, dizem sítio para a nossa quinta e dizem local para o nosso sítio, dizem camisola para a nossa camisa de noite, blusa para a nossa camisola e camiseta para a nossa blusa. O ecrã é a tela, rebuçado é bala, tasca é boteco e fazer o pino é plantar banana! Até a Rua Sésamo é Vila Sésamo e o sapo Cocas é sapo Caco! A riqueza da língua está nestas diferenças e falo só das diferenças em relação ao Brasil porque é uma realidade com a qual contacto todos os dias, 10 horas por dia (realidade que eu simplesmente adoro, por sinal) porque em relação a África e a Timor as diferenças são tão significativas como em relação ao Brasil. E quem achar que vai ser um c ou um p ou um acento circunflexo a menos que vão unificar a língua, então essa pessoa é completamente idiota.

22 comentários:

Anónimo disse...

Mais uma vez, completamente de acordo paixão. Mas... e que tal fazeres um Acordo cmg?

Luna Tic disse...

Infelizmente são muitas as pessoas que pensam que "vai ser um c ou um p ou um acento circunflexo a menos que vão unificar a língua"... por isso há por aí muitos idiotas =S


Saudalunações

Pearl disse...

assino o teu protesto!!!
:o)))***

Meg disse...

Concordo plenamente! Que tal fazermos um baixo-assinado na net contra "O Acordo"?

Meg

MS - Mnininha d'Soncente disse...

Tem toda a razão, eu sou cabo-verdiana e a nossa grafia assemelha-se à portuguesa; com o acordo a beneficiar o Brasil, imensa coisa por cá vai ter de mudar e não acredito que esta mudança seja assim tão benéfica capaz de ultrapassar os constrangimentos que vai causar... a ver vamos...
Um à parte...estive no Brasil (país lindo) e às vezes a sensação que tinha é que falava chinês e não português, para me fazer entender tive de dar um sotaque ao português e adoptar algumas palaras que ia aprendendo. encomendei prato que levava "presunto" e acabei por comer fiambre...logo alí aprendi a diferença e a partir daí fugi das sandes e pratos com "presunto"

Juani disse...

Eu devo andar mesmo a leste do paraíso, porque ainda não ouvi falar em concreto nesse Acordo. Mas discordo a 100%.
Eu até costumo dizer que isso do português do brasil não existe, há O Português e o brasileiro ponto!
Eu nem consigo ver um filme com legendas em brasileiro...

htsousa disse...

Anda um abaixo assinado, no petitions online, sobre isso!

Concordo inteiramente!

Sadeek disse...

Boas Kiss,

Vamos ter, segundo me informaram, 5anos para nos adaptarmos ao novo acordo, certo? A lingua-mãe é que vai ter de se adaptar, certo?

Enfim, este "baixar a calcinha" aos países mais fortes fascina-me...mau de mais para ser verdade...

Beijão

sergonov disse...

E pimbolim?

E o burro sou eu!? Hein!?

Sahara disse...

Nem o Filipão fazia melhor!
Assina a petição. Eu já assinei. :)
Beijo

Anónimo disse...

Eu voto na Kiss para presidente :)

Bj,

Esteleve

Marisa disse...

Concordo e assino por baixo!

wednesday disse...

Kiss, concordo em tudoo que dizes e ainda bem que nos deste alguma luz sobre o mundo das editoras.

Agora não posso concordar em que não aches que mudar a forma de escrita, mesmo que a leitura se mantenha igual, não vai de encontro àquilo que tu aprendeste como sendo a nossa língua... Para mim não faz qualquer sentido.

Frederico Lopes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Frederico Lopes disse...

Concordo contigo, esse pseudo-acordo não tem nexo nenhum. É um cruzada de alguns pseudo-intelectuais que não têm mais nada para f

Soph!a ღ disse...

Eu cá acho, q o "idiota" q teve essa ideia é lá dos Brasil..lol....

Oh caneco...pa mim, acto será sempre acto...:P

Rita. disse...

Pq os P's e os C's só servem para indicar que vogais devemos pronunciar de forma aberta e de forma fechada, mas parece que a partir daqui vamos todos fálar com a vógal abérta! e pq tds conseguimos imaginar a Inglaterra a fazer um acordo destes com os EUA! etc etc

Anda uma petição na net:
http://www.petitiononline.com/naoacord/petition.html

Não sei qual será o resultado prático disto se é que algum... mas mais vale tentar. E se alguém se lembrar de outras formas de mostrar o desacordo da maioria das pessoas com esta palhaçada, acho que muitos estariam interessados em ajudar... no fundo acho que as pessoas não perceberam ainda as repercussões deste acordo...

Tó do Samouco disse...

Ou sera, os brasileiros não querem é aprender português à séria. Para o mal ou para o bem, fomos nós que levámos para lá a língua. O melhor era fica tudo na mesma.

Tó do Samouco

www.samoucoaorubro.blogspot.com

Vicente disse...

... e pimbolim é matraquilho...

muito de acordo

O pensador disse...

Kiss,Nada acontece por acaso.

A intenção deste acordo não é salvaguardar o futuro da lingua Portuguesa?

Então nesse caso pensem..

A nossa adesão à Europa vai originar que daqui a 15/20 anos estejamos todos a falar mais Inglês/Francês (ou espanhol) do que português.

Não repararam já nos desenhos animados da "Dora" e do "Noddy" que incentivam as crianças a falarem inglês?
Sinto-me triste em dizer isto mas a lingua Portuguesa tem mais futuro no Brasil ou nas ex-colónias do que no nosso Portugal.

innocent bystander disse...

e passamos a dizer pato de varsória em vez de pacto de varsóvia?

kiss me disse...

Não, porque nesse caso lemos o "c".